Assine o jornal do  site para receber notificações de alteração! Dúvidas ou  sujestões, entre em contato comigo! Tire dúvidas no  Fórum de Modelismo Alternativo! Assine meu livro  de visitas! Leia ou submeta  arquivos para o site! Aprenda a montar  modelos alternativos! Volte à página  inicial... Visite alguns  links interessantes! O mapa deste  site... Fotos de meus  modelos alternativos Como as coisas  eram feitas de verdade... Informações e  esquemas de aviões! Here you can view my English Language version of the site Acesse meu novo conteúdo de ferromodelismo
MODELISMO EM ESCALA COM MATERIAIS ALTERNATIVOS
Colagem: 1 2 3 4 Alisamento: 1 2

Cobertura


A cobertura do avião é aquele processo em que cobrimos sua estrutura com algum material que simulará a sua fuselagem, seja ele metal, papel, papelão ou outro material flexível

O material necessário será a cola branca, o material de cobertura, a cola instantânea e massa de preenchimento ou massa plástica

O ferramental necessário será uma espátula, a tesoura, uma lixa grossa e um estilete

A cobertura pode ainda ser dividida em duas etapas, a de colagem, e a de Alisamento



Voltar ao topo da página

A etapa de colagem:

Passo 1:


Tomando as seções da armação em cruz que representem extremidades da fuselagem, modele com massa plástica ou de preenchimento as pontas da peça, até obter a forma aproximada da fuselagem naquela área. Deixe secar..



Voltar ao topo da página

Passo 2:


Estando prontas as extremidades daquela parte da fuselagem, passe cola em uma folha de papel e enrole-a em torno da armação em cruz. Você não poderá dar voltas com o papel sobre a armação

Na hora em que você enrolar a armação, lembre-se de juntar as sobras de papel, folha sobre folha, formando uma aba que se projete para fora do volume recém criado.

Todas as sobras de papel devem ser coladas folha sobre folha, e a cobertura deve ficar o mais esticada possível sobre a armação em cruz. A colagem folha sobre folha é uma técnica muito eficiente de imobilização do material colado. Você pode fazer cortes nas sobras de material que facilitem acompanhar a forma da armação em cruz coberta. Lembre-se, entretanto, de não remover o material do volume, pois é justamente a colagem folha sobre folha que garantirá que o material de cobertura permanecerá preso à armação em cruz durante a secagem da cola.

Após a secagem completa, as sobras de papel colado poderão ser removidas com auxílio de uma tesoura. É conveniente que neste passo você tente enrolar a armação produzindo colagens folha sobre folha em apenas um lado da armação. Isto é uma tarefa impossível para armações irregulares, mas tenha em mente que quanto menos sobras você tiver de remover, menos rebarbas do corte com tesoura ou estilete terão de ser lixadas ou massadas. A técnica de colagem folha sobre folha facilita a cobertura, mas pode dificultar o acabamento se mal aplicada.



Voltar ao topo da página

Passo 3:

Após a secagem completa da cola da cobertura, recorte as abas de papel pendentes com uma tesoura. Este corte não necessita ser muito preciso

O volume ficará bem definido, mas as rebarbas estarão aparentes em cada emenda

O corte com estilete neste momento poderia causar danos à peça, não sendo recomendável, já que as abas de papel poderiam se rasgar

Embora o exemplo demonstre abas em todos os lados do volume, recomendo que um dos lados maiores não possua este tipo de emenda, pelo menos em parte de sua extensão



Voltar ao topo da página

Passo 4:


Reduzidas as abas e rebarbas, termine de removê-las com uma lixa grossa, evitando, porém, a formação de buracos na cobertura. (isto descolaria o papel). Se a emenda se situar bem sobre o encontro com uma lâmina da armação em cruz, você terá um bom apoio para lixar, e o risco de acidentes será menor.

Caso a rebarba se torne muito difícil de lixar, você poderá apará-la com um estilete. O processo se assemelhará a apontar de um lápis, mas lembre-se que este processo é muito mais sucetível a erros que a remoção das rebarbas com lixa.

Outras técnicas de remoção de rebarbas podem ser tentadas, como o uso de alicates de corte reto e preciso, mas nunca experimentei usar algum destes alicates.

Neste ponto da cobertura não será necessário tapar todas as falhas e buracos que aparecerem no volume, sendo normal obter volumes repletos de pequenos sulcos nas emendas, ou emendas em alto relevo pouco pronunciadas. Estas últimas poderão ser lixadas com mais carinho, mais tarde...



Caso você opte por utilizar lata ou papelão, que são materiais mais firmes, você poderá preciar usar peças menores, pois assim é mais fácil de dobrar, entortar e acomodar estes materiais. Mesmo no caso do papel, em superfícies muito irregulares pode ser interessante dividir a cobertura em etapas. Cada junta entre etapas da cobertura poderá ser acabada posteriormente com uma nova cobertura de material muito fino, ou com massa. Além disso, a cola branca poderá ser substituída por cola instantânea ou cola quente em alguns casos. Isso se aplica especialmente no caso da lata, na qual a cola branca não pega...


A etapa de alisamento:


A etapa de Alisamento consiste na remoção de todas as emendas em relevo, além das falhas e buracos presentes na cobertura

Originalmente eu realizava este trabalho com cola quente, mas os resultados eram insatisfatórios

O uso de massa de preenchimento era pouco prático, e para obter bons resultados esta teria de ser muito fina, utilizando-se preferencialmente cinza peneirada ao invés de cerragem fina. Além disso, a peça massada necessitava ser trabalhada sempre na horizontal, com o lado molhado virado para cima para que a massa não escorresse.

Uma solução mais prática surgiu quando encontrei uma massa plástica para modelagem disponível em lojas de material para artesanato. Esta massa é muito fina, perde pouco volume com a secagem e não escorre facilmente, pois sua secagem é relativamente rápida. Além disso, esta massa é apropriada para nivelamento e alisamento com o uso de lixa fina. As massas de cola e cinzas ou serragem não são tão fáceis de lixar.


Voltar ao topo da página

Passo 1:


Com uma espátula aplique uma camada fina de massa plástica sobre a superfície a ser alisada.

Durante esta aplicação você deverá certificar-se que a massa penetrou nos sulcos e depressões da peça base.

Não deve ser aplicada massa nas áreas satisfatoriamente planas da superfície, senão você terá de lixar muito mais tempo para obter a espessura adequada da peça.

Deixe secar completamente

Observe que as técnicas de alisamento da superfície e de revestimento são semelhantes, mas diferem na função da massa aplicada, na superfície coberta e na quantidade de massa aplicada.



Voltar ao topo da página

Passo 2:


Alise a superfície massada com uma lixa d'água, até reencontrar as áreas da cobertura que se encontrem na altura correta. Deste feito, sobrará massa somente nas reentrâncias, concavidades e buracos indesejáveis da superfície.

Recomendo que você só realize esta etapa de alisamento imediatamente antes da impermeabilização e pintura do modelo, quando tudo já estiver montado em seus respectivos lugares. Assim você poderá eliminar qualquer emenda indesejável sem ter de refazer o serviço várias vezes.

Voltar ao topo da página Versão para impressão Próxima página
Jornal  -  Contato  -  Fórum  -  Guestbook  -  Artigos  -  Tutoriais  -  Modelismo Alternativo
Links  -  Mapa do Site  -  FAQ  -  Galeria de Modelos  -  Detalhes de Aviões  -  Dados Sobre Aviões


Clique aqui para Ativar / Desativar o Glossário
cobertura  -  impermeabilização