Assine o jornal do  site para receber notificações de alteração! Dúvidas ou  sujestões, entre em contato comigo! Tire dúvidas no  Fórum de Modelismo Alternativo! Assine meu livro  de visitas! Leia ou submeta  arquivos para o site! Aprenda a montar  modelos alternativos! Volte à página  inicial... Visite alguns  links interessantes! O mapa deste  site... Fotos de meus  modelos alternativos Como as coisas  eram feitas de verdade... Informações e  esquemas de aviões! Here you can view my English Language version of the site Acesse meu novo conteúdo de ferromodelismo
MODELISMO EM ESCALA COM MATERIAIS ALTERNATIVOS

Ailerons, flaps, lemes e profundores


Todas estas peças podem ser produzidas lançando-se mão das técnicas de construçào de dobradiças.

No passado eu utilizei as dobras industriais de caixas de papelão para produzir aviônicos móveis, mas este método é muito pouco recomendável, pois papel e papelão tendem a ressecar e rasgar com o tempo. Mesmo que você tenha visto a aplicação destas dobradiças primitivas de papelão em meus primeiros modelos, e pense que será mais fácil começar assim, eu recomendo tomar um pouquinho de tempo assimilando estas técnicas de produção de dobradiças com lata, para não perder tempo posteriormente com reparos difíceis.

Estas técnicas são explicadas a seguir:


dobradiças


1- Faça um eixo de arame bem reto.

2- Envolva-o com pedaços de lata de tamanhos iguais, dispondo-os de forma a se alternarem um para um lado, e outro para outro. Eles rodarão no eixo, em sua base dobrada,e deverão possuir uma rebarba de bom tamanho.

3- Com um alicate de ponta lisa, aperte as rebarbas de cada tirinha (nossos suportes) uma contra a outra. Comece bem da beirada do eixo, de forma que a lata tome a forma de um tubo ao redor do eixo. As rebarbas serão os pontos de fixação da dobradiça no modelo.


Seqüência de construção das dobradiças...

Para a fixação das dobradiças, deve-se atentar para o comprimento das abas de fixação. Estas deverão ser ajustadas à peça que se deseja colar. Prara este ajuste, podemos simplesmente colá-las e retirar os excessos, ou medir os comprimentos adequados de cada suporte da dobradiça, antes de colá-lo à peça receptora.



De forma semelhante à construção das dobradiças pode-se construir suportes para eixos com latinha. Usando o alicate de bico liso, proceda da mesma forma que descrito acima, mas neste caso as tiras de latinha não estarão enroladas sobre o eixo, e serão formadas rebarbas de ambos os lados. Este tipo de suporte poderá ser parafusado ou colado em seu local de destino no modelo.

Procure não usar papel ou papelão para produzir tais peças, pois estes materiais não oferecem resistência




É importante lemnbrar que todos os aviônicos consumirão espaço extra das asas e lemes para a colocação das dobradiças. Isto ocorre porque estas dobradiças ficam completamente expostas, consumindo uns 3mm ou mais da asa para permitir a movimentação da peça. Torna-se necessário, então, decidir qual peça terá seu tamanho reduzido, para dar lugar à dobradiça: A asa, ou o aviônico.

Embora este tipo de dobradiça seja bastante resistente e funcional, não é assim que as juntas móveis dos aviões são construídas. Para a observação ordinária do modelo elas produzem excelente resultado, mas para a observação mais detalhada, estas juntas descaracterizam-se da forma original e das expectativas de escala. Uma outra forma de produzir dobradiças pode ser interessante no caso de tentar alcançar maior precisão. Esta técnica trata-se de uma adaptação ainda conceitual da técnica utilizada em meu P-51 Mustang. Trata-se de um aviônico com "dobradiça" ou articulação interna.

Deve-se fazer um eixo de arame que se apoie em suportes no interior da asa.

O aviônico se apoiará em apenas alguns pontos do eixo, interfirindo menos na asa do que no caso da técnica anterior. Você poderia utilizar como pontos de apoio, justamente os pontos em que os aviônicos do avião real se articulam.

Aqui você vê o uso do método de lâminas e da dobradiça.

A dobradiça estando dentro da asa elimina a perda de superfície alar normalmente pintável. O maior problema envolvido com a perda de área alar é a inadequação da asa para receber insígneas devidamente escaladas. Se a insígnea disputa espaço com os aviônicos sobre a asa, pode ser que suas bordas recaiam sobre uma dobdradiça. Os movimentos da dobradiça acabam removendo a tinta que é depositada sobre elas e a insígnea é danificada. Este tipo de aviônico poderia solucionar este problema, já que a dobradiça em si poderia estar justa, sem a necessidade de que as partes pintadas do aviônico e da asa entrassem em atrito. Além disso, do lado da asa o eixo da dobradiça somente ficaria exposto no local de encaixe dos suportes do aviônico. Do lado do aviônico não haveria exposição de eixo em lugar algum.

Voltar ao topo da página Versão para impressão Próxima página
Jornal  -  Contato  -  Fórum  -  Guestbook  -  Artigos  -  Tutoriais  -  Modelismo Alternativo
Links  -  Mapa do Site  -  FAQ  -  Galeria de Modelos  -  Detalhes de Aviões  -  Dados Sobre Aviões


Clique aqui para Ativar / Desativar o Glossário