Assine o jornal do  site para receber notificações de alteração! Dúvidas ou  sujestões, entre em contato comigo! Tire dúvidas no  Fórum de Modelismo Alternativo! Assine meu livro  de visitas! Leia ou submeta  arquivos para o site! Aprenda a montar  modelos alternativos! Volte à página  inicial... Visite alguns  links interessantes! O mapa deste  site... Fotos de meus  modelos alternativos Como as coisas  eram feitas de verdade... Informações e  esquemas de aviões! Here you can view my English Language version of the site Acesse meu novo conteúdo de ferromodelismo
MODELISMO EM ESCALA COM MATERIAIS ALTERNATIVOS
Rebocador Portuário Samuel Risley

Modelos de Albino Luiz Gineste


Albino Luiz Gineste é Carioca, morador de Curitiba, no Paraná.

Pelo que consegui levantar, somente recentemente Albino se aventurou numa nova experiência de modelismo / reciclagem, produzindo os dois modelos estáticos aqui exibidos...

Albino diz que seu primeiro modelo (pelo menos entre os dois apresentados) é um rebocador portuário, feito em madeira bruta, e com algumas peças em plástico. Depois, ele construiu o que intitula de uma experiência completamente nova... A réplica do navio quebra-gelo canadense chamado Samuel Risley.

A parte mais impressionante de sua história, é que partindo de materiais inusitados, nenhuma experiência prévia com este tipo de trabalho, e dados oriundos da internet, Albino construiu uma espetacular réplica do Samuel Risley, num esforço mixto de arte, paciência, habilidade e pesquisa que realmente impressionam!


Estes são os navios de Albino Luiz Gineste:



Rebocador Portuário

(texto adaptado da descrição enviada por Albino Gineste)

"...O primeiro modelo que fiz é um rebocador portuário que foi executado só na observação de fotos que vi na internet. Foi feito com madeira bruta e pouco material plástico. Usei muito material reciclado. Nada foi comprado, a não ser as tintas. [...] As ferramentas usadas foram: mini limas, lixas, serrinhas de arco, alicate de corte e de ponta fina, pinças, formão, etc... [...] O rebocador foi finalizado com 312 peças e dois meses [...]".




Voltar ao topo da página

Samuel Risley

(Texto adaptado da descrição enviada por Albino Gineste)

"Entre no site de procura Google e digite Samuel Risley... ali você observará dezenas de fotos deste navio. Só na observação das fotos é que foi possível fazer o modelo. Eu nunca havia feito nada parecido antes.

Usei muito material plástico: Caixas de CD, fita VHS, fita CASSETE, estojo de batom, cerdas de vassoura (nos balaústres), palitos dentais e de espetinho, palito plástico de pirulito, corpo de caneta, estojo de perfume, peças de mouse, entre outras que achava na rua ou em casa. Alguns pedaços de plástico eu ganhei, e só comprei algumas peças de bijuteria, uns R$ 5,00, um carrinho de R$ 8,00 para colocar no navio ( há uma foto em que este navio leva à bordo um carro), e também comprei alguns fracos de cola tipo Bonder.

Foi utilizado (93%) de material plástico, sendo na maioria em lâminas plásticas PS usadas para luminosos. Ver o casco, convés, torre de comando, grande guindaste etc.. Este é um material muito leve e barato, que é também usado para maquetes arquitetônicas que ganhei de amigos.

Este PS é de fácil manuseio para furar, lixar, colar, moldar, limar, pintar e unir as partes. Você pode esquentar o material, e ele vem em várias espessuras.

O Samuel Risley foi finalizado com 2.114 peças, em nove meses."




Voltar ao topo da página

Os Materiais usados na construção das maquetes foram:

  • caixas de CDs, VHSs e CASSETEs;
  • Estojos de batom;
  • Cerdas de vassoura;
  • palitos dentais;
  • espetinhos e tubos plásticos (ex: cabo de pirulito);
  • Corpo de caneta
  • Estojos de perfume
  • Peças de mouse
  • PS
  • Peças de bijouteria
  • Cola instantânea;

A pintura foi realizada com tintas comerciais, e os grafismos foram desenhados no Corel Draw, e impressos em papel adesivo.


As ferramentas utilizadas foram:

  • Mini limas;
  • Lixas;
  • Serra de arco;
  • Alicate de corte;
  • Alicate de bico fino;
  • Pinças;
  • Formão;
  • Outras não especificadas;

Como vocês podem observar, a descrição de Albino é bastante detalhada!

Como lição tirada deste trabalho, além da perseverança, paciência e paixão pelo que se tem de fazer, tenho que destacar a extrema organização de Albino ao construir seus navios.

Eu não havia, até agora, realizado qualquer anotação a respeito da construção de meus aviões, exceto naqueles momentos em que realizava experiências com os decalques, revestimento impermeável ou reforma dos modelos. Quando eu realizei tais anotações, este cuidado me rendeu material para a produção e publicação de artigos. No resto de meu trabalho, para o qual não anotei nada, nem um passo sequer, tive de lembrar aquilo que realizara até mesmo anos atrás! Aquilo que era mais banal como as técnicas de construção com que ainda convivo, eu lembrei e pude publicar em meus tutoriais. Aquilo que era mais difícil de lembrar, tornou-se obscuro em minha mente. É isto que vem atrasando o término do tutorial do Hawker Hurricane. Preciso me lembrar com certeza de alguns passos da construção, realizados há anos atrás, mas não tenho anotações... A lição que nos deixa Albino é esta... Seu trabalho estará conservado tanto em seu planejamento, quanto em sua execussão, e em seu resultado.

A indicação de que Albino tomou estes cuidados de observação e registro estão explícitos em seu próprio texto, que transcrevo agora: (Adaptei algumas passagens do original)

"Tenho 6 cadernos que detalham: as ferramentas usadas (com fotos), fotos das peças, relatórios dos dias em que executei cada etapa do modelo. [Pelo que entendi, os demais cadernos são adicionais]

Cadernos com as fotos externas e internas do navio real, história do navio (onde foi construído, onde navega e serviços de operações de salvatagem etc...

Caderno com a história do primeiro modelo do rebocador portuário, que conta a história que me motivou a fazer nautimodelismo.

Cadernos com fotos das etapas que foram sendo executadas, cada arranjo e equipamento.

Caderno com os desenhos rabiscados à mão, utilizados para projetar cuidadosamente as peças, na pura observação das fotos do navio real. Não há plantas e planos desse navio disponíveis; tudo tinha de ser por dedução visual e em "escala" para não perder a harmonia do conjunto."

Com certeza este é um belíssimo trabalho de nautimodelismo!


Eu não transcrevi o texto completo fornecido por Albino, e acredito que mais alguns detalhes importantes podem ser vistos em um documento que ele me enviou, e que eu estou publicando no formato PDF. Clique aqui para visualizá-lo.

As dimensões do Samuel Risley são: 70cm de proa, 17cm de boca, altura da quilha até a ponta do mastro é de 39cm. A escala aproximada é de 1/100. (A escala é aproximada, já que Albino não dispunha de planos do navio, mas somente de fotografias e proporções estimadas por fotos tiradas de ângulos e distâncias variadas.

Voltar ao topo da página Versão para impressão Próxima página
Jornal  -  Contato  -  Fórum  -  Guestbook  -  Artigos  -  Tutoriais  -  Modelismo Alternativo
Links  -  Mapa do Site  -  FAQ  -  Galeria de Modelos  -  Detalhes de Aviões  -  Dados Sobre Aviões


Clique aqui para Ativar / Desativar o Glossário